Quanto mais, mais imbecil!

16/09/2012 at 6:12 (Discussões)

Descobri. Após anos de estudo intensivo em antropologia visual eu finalmente descobri.

É uma regra: “Quanto mais, mais imbecil”

Mas quanto mais o que?

Quanto mais TUDO.

Quanto mais burro – e esse é bem óbvio – mais frases que te darão uma forte vergonha alheia surgirão. Quanto mais burro, mais erros ridículos. Quanto mais burro, mais escolhas completamente erradas e sem escrúpulos aparecerão e serão tomadas pela “anta” como completamente normais. Resumindo: quanto mais burro, mais imbecil.

Quanto mais pobre, são mais prestações que dobram os preços dos produtos comprados (mas que pro “babuíno” “estavam SUPER em conta”). Quanto mais pobre, mais aquela camisa super 10 que ele pagou em 30x do valor total do salário dele “vai fazer ele pegar todas na balada” – junto com o Red Label e os energéticos, logicamente. Quanto mais pobre, mais os ricos “merecem morrer, só porque sim”. Enfim: quanto mais pobre, mais imbecil.

Quanto mais feio, são mais mulheres bonitas que estão “LOUCAS por ele, mas que estão fazendo cu doce”. Quanto mais feio, são mais produtos e marcas que o deixam lindo e que realmente o faz ser “o sucesso que é”. Quanto mais feio, mais “o mundo é para os belos e não há nada que se possa fazer para mudar isso”. É isso aí: quanto mais feio, mais imbecil.

Quanto mais porco, mais o “papel de bala não vai fazer diferença nenhuma” – assim como o pneu, o sofá e todo o lixo que ele produz diariamente. Quanto mais porco – e acho que aqui não falo só de sujeira -, menos suas ações individuais podem mudar um ambiente, uma sociedade e, muito menos, o mundo. Quanto mais porco – já em outros sentidos BEM mais abrangentes -, menos a fila precisa ser respeitada; menos diferença fará se sentar no banco – ou estacionar na vaga – reservada para deficientes/idosos. Yep: quanto mais porco, mais imbecil.

E aí você me aborda: mas assim você está sendo um preconceituoso mesquinho.

E eu te respondo: não, não estou. Porque quando eu digo TUDO, eu realmente quero dizer TUDO:

Quanto mais inteligente, mais pessoas não são “inteligentes o suficiente para compreendê-lo e para entender o que é o bom da vida e do mundo”. Quanto mais inteligente, menos pessoas mereciam estar no seu ciclo social/ sociedade/ mundo – e poderiam, logicamente, morrer por isso; e que tal jogar isso na cara delas? Não seria ótimo?. Quanto mais inteligente, mais injusto é esse mundo com quem pensa. É isso mesmo “Einstein”: quanto mais inteligente, mais imbecil.

Quanto mais rico, mais reservado deve ser seu espaço – para não se misturar, né? credo! Quanto mais rico, menos as pessoas que estão abaixo de você merecem estar alí, no mesmo ambiente que você – e por que não jogar bebida neles, não é mesmo? Eles não estão no camarote mesmo e, com certeza, o seu segurança particular irá te defender! Quanto mais rico, menos problemas existem no mundo; menos miséria; menos fome; menos diferenças sociais – o mundo é lindo. Não há fuga: quanto mais rico, – e, normalmente, mais que pobre – mais imbecil.

Quanto mais bonito, menos atenção você precisa dar para as outras pessoas – mesmo que elas só queiram saber as horas. Quanto mais bonito, menos é necessário ser culto – aliás, a beleza não é tudo? Quanto mais bonito, é mais necessário distribuir afeto para as pessoas mais imbecis que se possa encontrar – e depois reclamar aos quatro ventos que ninguém presta nesse mundo. Nem vocês escapam, misses: quanto mais bonito, mais imbecil.

Quanto mais culto, menos pessoas merecem viver nesse mundo, porque elas não sabem enxergar as diferenças – mas matá-las por serem diferentes seria uma ótima ideia. Quanto mais culto, mais faz sentido jogar na cara dos outros que aquilo que você escuta e curte é melhor que tudo o que a outra pessoa pode gostar – não há discussões: é obvio. Quanto mais culto, menos importa sua real opinião: se é arte, é arte. Quanto mais culto, mais imbecil, sem dúvidas.

A lista é maior, com certeza. A lista individual dos citados e a lista quilométrica dos não citados.

Mas, por fim, todos somos imbecis: vivendo em um mundo de imbecis e reclamando dos outros imbecis por não serem tão imbecis como nós.

Assinado: um grande imbecil.

Anúncios

1 Comentário

  1. Nati said,

    Há pouco tempo eu descobri que ser mediana é legal, e seu texto veio a calhar! Valeu, Fugóta! Muito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: